Acontece em São Paulo a 1ª Golden Times Party, evento exclusivo para adeptos do swing

Matéria Publicada no “Segs!” – 15/10/2018

Acontece em São Paulo a 1ª Golden Times Party, evento exclusivo para adeptos do swing

A agência de turismo Casal First Tour oferece mais um evento exclusivo para os adeptos do swing, que prezam pela liberdade, discrição e diversão. De 30 de novembro a 02 de dezembro, todos poderão aproveitar a noite paulistana de uma forma diferente e com muita sensualidade na primeira edição do Golden Times Party.

Na sexta-feira (30 de novembro) a proposta é curtir os melhores hits da house music dos anos 90 até os dias atuais, no camarote de uma conceituada casa noturna, com direito ao serviço open bar e coquetel “finger food”. Já no sábado, todos se encontram para o almoço, com a tradicional feijoada e música ao vivo em um restaurante localizado em um dos pontos turísticos de São Paulo.

Para fechar com chave de ouro, o encontro será no camarote liberal de uma balada do segmento, onde os swingueiros poderão soltar a imaginação em uma noite cheia de erotismo e sedução. Além do espaço exclusivo, os casais poderão usufruir dos ambientes da casa que facilitam a interação entre eles.

O pacote oferecido pela agência inclui duas noites de hospedagem com café da manhã, transfer (in/out), almoço do sábado com chopp, consumação de R$ 390,00 (casal) na balada liberal, open bar e finger Food. O primeiro lote para o casal, até 20 de outubro, custa R$ 3.822,30.

Como o evento é exclusivo para casais que seguem um estilo de vida diferenciado, as demais informações e detalhes dos locais (roteiro), são informados apenas via e-mail (casalfirsttour@casalfirsttour.com.br). Para saber mais sobre a agência Casal First Tour, destinos liberais e pacotes, acesse: www.casalfirsttour.com.br.

Fonte: https://www.segs.com.br/demais/139548-acontece-em-sao-paulo-a-1-golden-times-party-evento-exclusivo-para-adeptos-do-swing

Casais contam como funcionam as viagens liberais e o que rola por lá

Matéria Publicada no UOL VIAGEM – 23/11/2016

Para quem nunca fez, uma viagem liberal soa como uma orgia ininterrupta, do café da manhã até o jantar. Na prática, não funciona bem assim. O sexo certamente está no centro das atenções, porém, o que prevalece é o clima de sensualidade.

Tanto nos resorts quanto nos cruzeiros liberais, as atividades e os ambientes são criados para estimular os casais e aproximá-los, mas sem a mesma pressa que existe em uma casa de swing. “Envolve não só a prática do sexo trocado, mas também a oportunidade de conhecer bem outro casal”, diz Marina*, 36, psicóloga, que todo ano faz pelo menos um passeio liberal com o marido Marcio*, 41, empresário.

Para quem acha que, ao entrar no hotel ou no navio, será como estar dentro de um filme pornô, Marina desmistifica a fantasia. “Não se vê casais transando em qualquer lugar, de qualquer jeito. A maioria das mulheres prefere esperar a noite cair para transar, porque o escuro esconde as imperfeições”, explica a psicóloga, adepta do swing há mais de uma década e autora do blog “Marina & Marcio“, onde relata suas aventuras e dá dicas para os iniciantes.

O dia típico em um hotel ou cruzeiro liberal começa com os casais conversando no café da manhã, para se conhecer e buscar afinidades. Ao longo do dia, alguns fazem passeios turísticos e visitam praias naturistas, outros aproveitam para ficar na piscina e todos esperam com ansiedade o cair da noite, para participar das festas temáticas.

“As mulheres usam fantasias ou roupas muito sensuais. Depois da balada, todos se encontram em uma hidro quentinha para acabar a noite com muito sexo ao ar livre olhando a lua”, conta Cris*, 52, de Camboriú (SC), sobre sua experiência com o marido Caco*, 53, em Cancún.

Arquivo pessoal

Marina aproveita a Praia do Pinho, point naturista em Balneário Camboriú (SC)

Check in com nome falso e fotos para despistar

Geralmente, a nudez é permitida nas áreas comuns, mas não obrigatória. O sexo grupal, seja nos hotéis ou nos cruzeiros, fica mais reservado aos quartos e aos “playrooms” – salas ou espaços montados especificamente para a interação dos casais.

Apesar da fama de sensualidade, os brasileiros são tímidos na hora de tirar a roupa. “Eles ainda são minoria nos cruzeiros liberais, tendem a ser mais conservadores e não gostam muito de ficar nus”, diz Paulo Macedo, proprietário da agência Casal First Tour, que trabalha há 11 anos nesse segmento.

Para Macedo, o ponto alto das viagens está no convívio e na intimidade compartilhada entre os casais, que têm tempo para construir boas amizades e dividir histórias que somente esse ambiente permite. “A ideia é sensualizar e formar laços, diferente do clube de swing, em que só há tesão e impulso”, explica.

Os casais que procuram esse estilo de roteiro, geralmente, estão acima dos 30 anos de idade, têm vários anos de união, possuem uma boa condição financeira e filhos já criados, como Cris e Caco, juntos há 34 anos, e Marina e Marcio, com mais de 15 anos de casamento.

“São pessoas que desejam viver aventuras no anonimato, longe de casa”, resume Paulo Macedo. Para proteger a identidade dos clientes, os estabelecimentos aceitam check-in com nome falso. Além disso, é comum os casais tirarem algumas fotos tradicionais no destino para enviarem à família e aos amigos, a fim de não levantar suspeitas.

Divulgação/Desire Resorts

Vista área do resort “Desire Riviera”, resort liberal na região de Cancún

Paraísos liberais

Existem diferentes opções de viagens liberais, em terra ou alto-mar. No Brasil, atualmente, há apenas duas pousadas exclusivas para essa finalidade: uma em Arraial D’Ajuda (BA) e outra na praia de Tambaba (PB). Algumas agências de turismo, no entanto, costumam fechar hotéis convencionais para eventos liberais, com pacotes de três a quatro dias a partir de R$ 2.500 por casal.

Como o Brasil ainda está engatinhando nesse segmento, muitos adeptos preferem as viagens internacionais. Os paraísos liberais mais populares são resorts na região de Cancún e os hotéis da vila naturista Cape D’Agde, no sudoeste da França. Nos hotéis liberais de Cancún, as diárias giram em torno de US$ 500 a US$ 800 por casal (aproximadamente de R$ 1.700 a R$ 2.700, em valores convertidos em 24/11/2016), conforme a baixa ou alta temporada, com todas as bebidas e refeições incluídas.

Várias companhias também oferecem cruzeiros liberais, com diferentes preços e destinos, e onde a programação de shows e festas é mais intensa. Os mais baratos saem da Flórida, nos Estados Unidos, em navios que comportam até duas mil pessoas, a partir de US$ 1.500 por casal (cerca de R$ 5.100). Para quem prefere roteiros mais exclusivos, há opções para cerca de 300 casais que passa por Itália e Croácia, entre outros países. Nestes, o investimento fica acima dos 6 mil dólares ou euros por casal, conforme o tipo de acomodação.

Nas viagens internacionais, a falta de um idioma em comum pode complicar a comunicação. As agências costumam fazer esse meio de campo para ajudar os casais a se integrarem melhor com os outros viajantes. Apesar de se sentir mais à vontade nas viagens nacionais, por causa da cultura similar, a psicóloga Miriam*, 56, de Salvador (BA), não passou aperto com o marido Luciano*, 69, empresário, no cruzeiro que fez para a Croácia. “As palavras ‘yes’ ou ‘no’ funcionam muito bem na hora do sexo e a troca de olhares é universal”, diz.

Segundo Rodrigo*, do casal Sol e Nieve, conhecido no meio liberal e que mantém uma agência de viagens liberais com o mesmo nome, cada cultura tem uma forma diferente de se aproximar e flertar. Apesar de não serem muito adeptos da nudez, os brasileiros se destacam nesse ambiente. “Porque são quentes, exóticos, todos querem ser amigos dos brasileiros”, revela.

Arquivo pessoal

Marina e Marcio fazem pelo menos uma viagem liberal por ano

Na chuva sem se molhar

O provérbio “quem está na chuva é para se molhar” nem sempre se aplica a quem embarca em uma viagem liberal. “Os casais não necessariamente querem fazer troca, alguns gostam apenas de estar em um ambiente sensual e sedutor”, afirma Rodrigo.

A entrega aos novos prazeres costuma ser gradual. “Na primeira viagem você chega de mansinho. A maioria é assim, fica só observando. Você quer desfrutar de uma liberdade que ainda não tem”, conta Miriam, que se julgava conservadora e tinha muitas dúvidas se iria apreciar a experiência. “Será que vou ser obrigada a fazer alguma coisa? E se eu não gostar, o que eu faço?” eram os questionamentos que passavam pela cabeça dela.

A primeira transa foi acontecer somente lá pela quarta viagem. Depois de oito anos viajando, Miriam aguarda ansiosamente pela próxima aventura. “Gostei tanto que continuei, agora já começamos a nos excitar antes de viajar, procuro roupas novas, não quero repetir lingeries”, diz ela, que curte mais as brincadeiras e jogos de sedução do que qualquer outra coisa.

Cris também sentiu nervosismo e insegurança no primeiro passeio liberal. O sexo ficou restrito ao casal e a abertura para outros parceiros foi evoluindo com o tempo. “É tudo muito excitante e fascinante. Na primeira troca, houve muito ciúmes por parte do meu marido, mas nada que não se resolva com uma boa conversa”.

Para quem não tem experiência, o início funciona como um período de estudo, de aprender as reações um do outro e de determinar os limites que deverão ser respeitados. “Não gosto que ele beije na boca”, confessa Miriam.

Se o casal ainda não tem suas regras bem definidas, vale a pena conversar bastante antes da viagem para não estragar a diversão com DR (discussão de relacionamento). “É interessante pensar se devem ficar o tempo inteiro juntos ou não, se podem beijar na boca, transar em ambientes separados ou não”, sugere Marina, que já superou essa fase e adoraria fazer sexo grupal a viagem toda, mas nem sempre é assim.

“Não espere transar o tempo todo nem pegar a mulher mais gostosa da excursão. Pense no lugar que vai conhecer, nas paisagens, nas comidas, nas compras. A viagem liberal é uma experiência completa, que inclui, se você quiser, sexo com outras pessoas”, aconselha.

* Os nomes foram trocados a pedido dos entrevistados

Fonte: http://viagem.uol.com.br/noticias/2016/11/23/casais-contam-como-funcionam-as-viagens-liberais-e-o-que-rola-por-la.htm

Vamos falar de sexo: cruzeiro libera a troca de casais

Matéria Publicada no Jornal o Globo.com

Passeios exclusivos para casais adeptos do swing oferecem shows eróticos, mesas de strip pocker e desfiles de lingerie

RIO – À primeira vista, parece um cruzeiro como outro qualquer. O navio tem piscina, restaurante, cassino, cabines privadas… Mas eis que de repente você tem a possibilidade de participar de uma troca de casais… e, aí, a perspectiva toda muda. Bem-vindos ao cruzeiro de swing.

A programação inclui festas temáticas que estimulam a sexualidade, além de shows de striptease, mesas de strip pocker e desfiles de lingerie (com ou sem a participação dos passageiros). Também há, como não, uma boutique erótica. A troca de casais pode acontecer dentro das cabines ou no chamado ‘dark room’, um espaço com camas enormes e um tremendo clima de motel. Ali, o sexo coletivo está liberado…

Este tipo de viagem é bastante comum em países europeus e também nos Estados Unidos, de acordo Paulo Macedo, dono da agência Casal First Tour, em São Paulo. Ele afirma, porém, que o Brasil “ainda está engatinhando no assunto”. Por aqui, o primeiro — e, até o momento, único — cruzeiro de swing saiu do Rio no dia 3 de janeiro de 2015, e passou por Búzios e Punta del Este, no Uruguai, até chegar em Buenos Aires, na Argentina. A viagem durou uma semana. Mas dos 370 casais, apenas 15% eram brasileiros.

— A procura foi grande e a lotação do navio esgotou quase um ano antes, mas a maioria era estrangeiro mesmo. Os brasileiros têm medo de ser identificados. Muitos ficaram preocupados com a possível presença da imprensa no porto conta Paulo, que há 11 anos organiza cruzeiros de swing:  O Brasil está na ponta do iceberg do que acontece no mundo todo.

O sexo entre os casais é totalmente liberado, mas há regras a serem cumpridas. Não é permitido transar na piscina, nem em qualquer outro espaço público. Muito menos se o navio estiver atracado. A nudez é proibida nas áreas comuns e no deck.

É para não causar constrangimento ou possível envolvimento da tripulação e dos funcionários — explica Paulo.

Os preços variam entre US$ 1,5 mil e US$ 2,3 mil por pessoa, de acordo com o tamanho dos navios ou do tipo de cabine.

Quem quiser, que se habilite. Afinal, como diria aquela música da Rita Lee, o que não falta é apetite…

 

Fonte: http://oglobo.globo.com/sociedade/sexo/vamos-falar-de-sexo-cruzeiro-libera-troca-de-casais-16693154

10 viagens exclusivas para casais dispostos a viver aventuras sexuais

Matéria publicada no Uol Viagens

Sair de férias não significa só relaxar e sair da rotina. Você também pode aproveitar para incrementar a vida sexual em viagens especializadas. No Brasil e no exterior, há resorts, pousadas e cruzeiros exclusivos para casais liberais, que querem conhecer novas pessoas e realizar fantasias eróticas. Confira, a seguir, algumas opções de passeios desse tipo.

Arraial D’Ajuda

Pacote de três dias na Pousada Solar das Vertentes, em Arraial D’Ajuda (BA), que é exclusiva para casais liberais e organiza eventos há 14 anos. Está a 22 quilômetros de Trancoso e a sete quilômetros do aeroporto de Porto Seguro. O clima é intimista, já que a capacidade máxima é de sete casais. São 5.700 m² de área privativa, onde é possível praticar o naturismo. O pacote custa a partir de R$ 1.350 o casal.

Cruzeiro pela Europa

De 2 a 11 de agosto, o navio passará por Suécia (foto), Alemanha, Dinamarca e Holanda com casais liberais dispostos a se divertirem em festas temáticas, nos “playrooms” (espaço com diversas camas para sexo coletivo) e na piscina, onde o nudismo é liberado. Todas as refeições estão inclusas. 

Roteiro com Itália, Croácia e Eslovênia

Cruzeiro de oito dias por Itália, Croácia e Eslovênia. Na viagem Venice Foreplay, da Desire Cruises, as roupas são opcionais na piscina e nos “playrooms”. Durante o dia, há workshop para casais, festas na piscina e performances provocativas. À noite, acontecem as festas temáticas. O preço inicial por pessoa é de US$ 2.883 mais taxas.

Resort em Cancún

Pacote de sete noites em um resort para adultos, em Cancún, no México. O Temptation Resort Spa é um hotel apenas para pessoas maiores de 21 anos, no qual o topless é opcional e o regime é “all inclusive” (todas as refeições e bebidas inclusas). Há três piscinas diferentes: uma para relaxamento, outra para prática esportiva e outra para entretenimento sensual, que é coordenada pela equipe do hotel. A hospedagem para o casal custa R$ 4.940 por sete noites.

Fim de semana no Nordeste

Pacote de fim de semana em João Pessoa (PB). A pousada naturista Villamor (foto) recebe casais liberais o ano todo e, em datas específicas, organiza pacotes com programação fechada. De 20 a 23 de outubro, os hóspedes terão baladas todas as noites na boate do local, equipada com pole dance, cabines de toque, “dark room” (sala com pouca ou nenhuma luz, onde se pode transar) e cadeira erótica. A pousada está a cinco quilômetros da praia naturista Tambaba. A hospedagem para casal, com café da manhã, custa a partir de R$ 1.500 para o período. 

Puerto Vallarta, no México

Pacote de sete noites “all inclusive” em Puerto Vallarta, no México. De 15 a 22 de outubro, um resort será fechado para receber casais liberais. Piscinas, jacuzzi e praia privativa serão transformados em um parque de diversões para adultos. Na ocasião, os restaurantes de cozinha internacional e os bares terão horários modificados para atender ao grupo. Um passeio opcional levará casais a um clube de praia que permite topless. O pacote custa a partir de US$ 2.600 por casal (sem passagem aérea). 

Jamaica

Pacote de cinco dias em resort na Jamaica. O resort Hedonism II é exclusivo para adultos, situado em uma praia de nudismo no vilarejo de Negril. Há festas temáticas todas as noites, além de piscina ao ar livre, banheira de hidromassagem e uma bela vista para o mar do Caribe. O preço para quatro diárias no mês de agosto, em regime “all inclusive”, é a partir de R$ 6.499 para duas pessoas.

Flórida, nos Estados Unidos

Cruzeiro de seis dias com saída da Flórida, nos Estados Unidos. O Bliss Cruise sairá do porto Fort Lauderdale, na Flórida, passará por San Juan, em Porto Rico, e St. Marteen, no Caribe. O navio é equipado com “playrooms” e haverá seminários sobre sexo. Transar em público é proibido, mas as roupas são opcionais nas piscinas. O preço do pacote é a partir de US$ 2.000 o casal e só não inclui as bebidas.

   

Ano Novo em Miami

Pacote de Ano Novo de quatro dias em Miami, nos Estados Unidos. Em um iate, a festa da virada será fechada para casais liberais. A embarcação é equipada com sala de jogos temáticos para os casais interagirem. Na noite do dia 31, a bebida é à vontade, o jantar incluso e cada casal recebe uma garrafa de champanhe Veuve Clicquot à meia-noite. No primeiro dia de 2017, há um passeio marcado para conhecer a praia naturista Haulover Beach. O pacote terrestre custa a partir de US$ 3.000 o casal. 

Riviera Maya, em Cancún

Pacote de quatro dias em resort na Riviera Maya, em Cancún, no México. Também do grupo Desire, que organiza viagens para casais liberais, o resort oferece acomodações luxuosas, refeições gourmet e entretenimento adulto. Nessas férias, roupas são opcionais. Na praia, há camas para que os casais se deixem levar pela bela paisagem caribenha. Todas as refeições são inclusas no pacote, que custa a partir de US$ 1.363 por casal mais taxas (sem passagens). 

Fonte: http://estilo.uol.com.br/comportamento/listas/10-viagens-exclusivas-para-casais-dispostos-a-viver-aventuras-sexuais.htm

Com nudez: saiba como é um cruzeiro para casais liberais

Diferente de hotéis e resorts destinados a swingers, os cruzeiros têm ambientes mais restritos onde o sexo é liberado

Matéria publicada no Terra Turismo – Vida e Estilo

Já Imaginou como é viajar a bordo de um cruzeiro para casais adeptos da troca de parceiros? Os cruzeiros de swing despertam curiosidade e aguçam a vontade de muitas pessoas, mas ainda são um mistério para quem não está envolvido nesse ambiente. Com adeptos no mundo inteiro, especialmente na Europa e nos Estados Unidos, é uma das vertentes de turismo voltado para casais liberais e, assim como os resorts e hotéis liberais, as viagens têm suas próprias particularidades.

A primeira grande vantagem do cruzeiro de swing é saber que o casal estará em um ambiente cheio de pessoas com os mesmos objetivos. “Vai ter 1.100 casais liberais interessados. A interação é muito mais fácil”, afirma o proprietário da empresa especializada em férias para casais liberais, Casal First Tour, Paulo Macedo.

Macedo, que realizou em janeiro de 2015 o primeiro cruzeiro de swing da América do Sul, ressalta também outra atração dos roteiros liberais: “Tem a nudez, que é interessante. As pessoas curtem isso, principalmente em alto-mar”, comenta. É preciso ter em mente, no entanto, que dentro do navio nem todas as áreas estão abertas ao nudismo. O nu geralmente é restrito a ambientes como a piscina e, em alguns casos, apenas quando o navio está em navegação.

Sexo liberado, mas com respeito

Por ser um cruzeiro voltado para a troca de casais, os ambientes onde osexo é liberado também são bastante procurados. Mas, ao contrário do que acontece em resorts ou hotéis, são mais restritos. Além das cabines, onde cada um pode fazer o que quiser, os navios contam com áreas públicas específicas, as chamadas playrooms. Elas são ambientes nos quais diversas camas são dispostas, com ambientes reservados para casais mais discretos, mas onde também é permitido o exibicionismo, para quem gosta. “São áreas bonitas, em ambientes enormes, um lugar bem interessante”, afirma.

Além dos playrooms, as boates a bordo costumam ser outra área livre para os casais. “Nas boates e no teatro, em vez dos espetáculos normais do navio, têm shows temáticos como striptease. Eventualmente até show de sexo explícito”, conta. Nessas áreas as regras são simples: tudo é liberado, mas ninguém é obrigado a nada. Portanto, não significa que qualquer atividade deve ser consentida por todos os envolvidos. Para quem já costuma passar férias liberais em resorts e hotéis, Macedo salienta que é necessário ter em mente que o cruzeiro é mais restrito, enquanto nos outros tanto a nudez quanto a prática sexual são liberadas em quase todos os ambientes.

Isso, no entanto, pode ser justamente um dos atrativos dos cruzeiros de swing. Como na maior parte das áreas do navio o sexo explícito e o nudismo não são permitidos, ele se torna um ambiente ideal para casais mais discretos, principalmente se for em uma embarcação pequena. “Para quem está iniciando é bom, porque é mais light”, salienta.

No Brasil, só em 2018

O primeiro cruzeiro liberal realizado no Brasil ocorreu no início de janeiro deste ano, a bordo do Azamara Journey, da Azamara Club Cruises, em roteiro com partida do Rio de Janeiro para Argentina e Uruguai. “Esse foi um balão de ensaio, feito com um navio pequeno e numa data que interessaria quase que exclusivamente a estrangeiros”, diz Macedo. E isso foi confirmado pela ocupação, com 80% dos cerca de 700 hóspedes estrangeiros. “Vendeu bem, pelo ineditismo”, analisa.

De acordo com Macedo, o público interno ainda é “muito recatado” quando se trata deste tipo de turismo. “Muitos brasileiros ficam inibidos, têm medo de repórteres, de divulgação”. Mas para quem tem esse receio é bom lembrar que a bordo a política sobre divulgação de imagens é bastante restritiva e rígida. Não é permitido fotografar ou filmar passageiros sem total consentimento, e o anonimato é levado muito a sério. Além disso, durante as escalas os portos costumam receber mais navios ao mesmo tempo, o que torna muito difícil que se reconheça quem desembarcou de qual cruzeiro.

Um próximo cruzeiro de swing no Brasil está em estudo, e pode acontecer em 2018. Segundo Macedo, o entrave é apenas uma questão logística, pois para reservar um navio são necessários cerca de 3 anos de antecedência, e a agenda da Casal First já está cheia até 2017, com quatro cruzeiros internacionais. “Uns 100 casais brasileiros você vai encontrar nesses cruzeiros”, comenta.

Fonte: https://vidaeestilo.terra.com.br/turismo/cruzeiros/com-nudez-saiba-como-e-um-cruzeiro-para-casais-liberais,55de99a9e7cef21222d7f72acef287d2kdv7RCRD.html

Programe-se para um swing em alto mar

Chega ao Brasil em 2015 o “Samba Swing & Tango”, o primeiro cruzeiro para casais praticantes do swing

Matéria publicada no site Area H

A agência Casal First Tour, responsável pela organização de viagens e eventos voltados para casais liberais, preparou uma novidade exclusiva que vai agitar o mar sul-americano em 2015. Chega ao Brasil o primeiro cruzeiro para casais adeptos do swing: o cruzeiro “Samba Swing & Tango”.

Samba Swing & Tango: eventos temáticos, atividades para casais, festas exclusivas e sensuais.

# O navio
A bordo o navio Azamara Journey, os 375 casais (lotação máxima) contarão com lazer amplo: discoteca, bares, restaurantes, cassino, piscinas, sauna e Spa. Segundo a agência, a faixa etária média dos passageiros é entre 35 e 50 anos de idade.

# O roteiro
Com partida do Rio de Janeiro, o navio navega por oito dias e sete noites: o cruzeiro “Samba Swing & Tango” fará escalas em Búzios (RJ), Punta del Este (Uruguai) e termina em Buenos Aires (Argentina).

# Programação
Durante a viagem os casais poderão ficar bem à vontade: o uso de roupa no navio é opcional e os casais terão a opção de circular sem roupa nas dependências comuns do navio. Os passageiros também poderão participar de eventos temáticos, atividades para casais, além de festas sensuais exclusivas. No entanto, as relações íntimas só podem ocorrer em espaços e áreas reservadas dentro do navio.

# All Inclusive
Com preços a partir de US$ 1.500 por pessoa, os pacotes abrangem todas as refeições a bordo. As bebidas alcoólicas e a passagem aérea de volta entre Buenos Aires (ponto final da jornada) e o Brasil, não estão inclusas no preço do pacote.
Para reservas, preços e outras informações, acesse o site da agência Casal First Tour.

Fonte: http://www.areah.com.br/vip/samba-swing-e-tango/materia/84335/1/pagina_1/programe-se-para-um-swing-em-alto-mar.aspx

Turismo liberal seduz adeptos do suingue e casais curiosos

Matéria publicada no Uol – Mulher – Comportamento

Acabar com a rotina sexual, viver novas experiências ou simplesmente saciar a curiosidade são algumas da razões que têm levado casais, em geral juntos há muito tempo, a procurar as chamadas “viagens liberais”, focadas no sexo. Porém se engana quem pensa que esse tipo de turismo é procurado somente por quem deseja trocar de casal, praticando o suingue; a maior parte do público quer mesmo é curtir um ambiente plenamente erotizado, capaz de despertar desejos e incentivar a realização de fantasias.

“Precisamos quebrar esse preconceito; a minoria dos casais pratica a troca. Nossos clientes geralmente focam em três coisas: exibicionismo, sexo no mesmo ambiente e voyeurismo”, diz o empresário Paulo Macedo, um dos donos da agência de turismo Casal First Tour.

A ideia de criar uma agência focada apenas no público liberal foi concretizada há dez anos: “Percebi que havia um grupo de pessoas muito grande que não tinha opções no Brasil, mas não gostava de ir para outros países por causa da barreira da língua”, revela Macedo.

Atualmente, os principais destinos dos brasileiros são o Nordeste, onde existem duas pousadas 100% liberais (onde o sexo é permitido em qualquer ambiente), e Cancun, no México, que possui três grandes resorts especiais para o público.

De acordo com Macedo, cerca de 70% dos frequentadores dos hotéis em Cancun são norte-americanos. “Lá esse tipo de turismo é muito difundido. Por isso, comecei a fechar pousadas e criar grandes eventos especialmente para quem é adepto do turismo liberal”, explica o empresário.

Foi pensando nisso que a agência passou a organizar grupos formados apenas por brasileiros, uma maneira de derrubar a barreira da língua, que atrapalha muitos dos turistas do país. Para quem não tem dificuldade em falar inglês ou espanhol, os quartos estão disponíveis todos os dias, o ano todo.

Como funciona

Nos resorts e pousadas, a piscina e a sauna são locais destinados à nudez e ao exibicionismo, mas também é permitida a prática sexual. Já o “Play Room” é um ambiente especialmente reservado para os casais namorarem. Nada é obrigatório, mas em geral as pessoas entram no clima e acabam liberando suas fantasias.

Por isso, a preocupação em garantir que os clientes não sejam reconhecidos ou gravados é grande e levada a sério. “Muitas pessoas não querem frequentar clubes de suingue por medo de encontrar alguém conhecido. Em São Paulo, fica uma pulga atrás da orelha, mas em outras cidades menores é um verdadeiro pavor. Por isso nós proibimos fotos, vídeos e celulares. Até mesmo funcionários não podem circular com telefones. Só fazemos eventos em pousadas em que temos total confiança”, garante o sócio da agência.

O fundador da Casal First Tour conta que o público é formado principalmente por casais mais velhos, que já criaram os filhos, estão economicamente estáveis e agora voltaram a “ser jovens”, com vontade de curtir a vida e ter novas experiências, mas com mais conforto e discrição.

Quem já experimentou aprova. “Há uns sete anos minha esposa viu uma reportagem sobre o assunto e veio conversar comigo. Falamos um bom tempo, até que decidimos experimentar. Foi muito legal. Tem o impacto inicial, mas você fica muito à vontade e nada é forçado”, conta o engenheiro F.S., 55, que viaja com a esposa pelo menos uma ou duas vezes por ano para destinos liberais.

F.S. ressalta a importância de conversar muito sobre o assunto antes de viajar. “Eu e minha esposa colocamos certos limites e regras. Por exemplo, a troca sempre é com um casal e os dois precisam gostar do casal. Não pode ter ciúme, tem que entender que é um divertimento”, explica.

Quanto custa

Todos os anos, a agência faz uma viagem especial para brasileiros com destino a Cancun. Os pacotes são focados no público de alto poder aquisitivo e costumam se esgotar rapidamente. Os preços variam de US$ 3.090,60 a US$ 5.327,73 para o casal, com cinco diárias all inclusive (alimentação e bebidas incluídas), entretenimento adulto, festas temáticas todos os dias, transfer privativo e seguro viagem.

A agência também oferece um pacote especial para João Pessoa (PB). A “III Primavera Swing” acontece de 18 a 21 de setembro, na pousada Villamor, e oferece duas opções de suítes: no quarto Luxo, o pacote sai por R$ 1.634,00; já no Master, a viagem sai por R$ 1.850,00. Os valores, por casal, incluem transfer para conhecer uma praia naturista, café da manhã e mais uma refeição ao dia, festas temáticas e uso ilimitado das áreas comuns.

Em todos os pacotes, os preços não incluem a passagem aérea.

Quem se interessar pela ideia pode curtir os destinos durante todo o ano, mas F.S diz que vale a pena começar em viagens de grupos fechados. “Há a preocupação de conhecer bem os casais que farão parte do evento. Nossa primeira viagem foi em 2006, e foi muito bom ter um grupo experiente para nos ajudar. Ficamos muito tranquilos e não nos sentimos pressionados”, conta ele.

Também há opções para quem prefere desfrutar de um cruzeiro. O “Samba Swing & Tango” vai zarpar do Rio com 375 casais, no dia 3 de janeiro de 2015. No roteiro, estão inclusas paradas no Uruguai e na Argentina. Os pacotes custam a partir de US$ 1.500 por pessoa. O número de interessados impressiona, mas Macedo conta que, nos Estados Unidos, são três cruzeiros anuais com cerca de 1,1 mil casais em cada.

Para os solteiros que ficaram com vontade de conhecer um resort liberal, a opção é o Temptation, em Cancun, único que aceita mulheres e homens solteiros e casais homossexuais. Todos os outros são destinados exclusivamente para casais heterossexuais.

 

Resorts em Cancun:

Desire Riviera Maya

Desire Pearl

Temptation

Fonte: http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2014/04/29/turismo-liberal-seduz-adeptos-do-suingue-e-casais-curiosos.htm

 

Temporada de cruzeiros terá viagem para adeptos do ‘swing’

Matéria publicada no UOL Viagens

A temporada brasileira de cruzeiros 2014/2015 contará com uma viagem dedicada a casais adeptos do “swing” entre seus roteiros. A agência Casal First Tour anunciou nesta terça-feira (23) que já iniciou as vendas do cruzeiro “Samba Swing Tango”, que sairá do Rio de Janeiro no dia 15 de janeiro de 2015 e, durante oito dias, visitará Búzios, Punta del Este e Buenos Aires.

A jornada será realizada a bordo do navio Azamara Journey, que tem capacidade para comportar até 375 casais. “Estamos esperando lotação máxima”, conta o proprietário da Casal First Tour, Paulo Macedo. “Também vendemos pacotes para cruzeiros desse tipo no exterior e sempre há brasileiros entre nossos clientes. Essa é a primeira vez que promovemos uma viagem marítima para casais liberais dentro do país e nossa expectativa é a de que haja muita procura por passagens”.

  •   Com saída do Rio de Janeiro, o navio Azamara Journey comportará até 375 “casais liberais”

Macedo calcula que a faixa etária do público do navio deve variar, em média, entre 35 e 50 anos. “E com certeza haverá muitos estrangeiros no meio, pois o apelo do Brasil lá fora é muito forte”.

A bordo, os hóspedes têm a opção de não usar roupa. “A nudez não é obrigatória”, informa a First Tour, “mas quem quiser aproveitar o verão para eliminar a marquinha do biquíni poderá ficar à vontade”. Além de visitar os destinos brasileiros, uruguaios e argentinos, os hóspedes participarão de festas do navio que são classificadas como “charmosas e sensuais”. Relações íntimas, porém, só podem ocorrer em alguns espaços determinados da embarcação.

Os pacotes da viagem custam a partir de US$ 1.500 por pessoa. O preço abrange todas as refeições a bordo, mas não inclui bebidas alcoólicas e a passagem áerea entre Buenos Aires (ponto final da jornada) e o Brasil.

Ofertas no exterior

Se no Brasil os cruzeiros de “swing” ainda não são difundidos, no exterior a realidade é diferente. Existem diversas empresas estrangeiras que vendem viagens marítimas para casais liberais (e alguns navios chegam a comportar mais de mil casais). Confira algumas abaixo:

Swing Ship: www.swingship.com

The Swinger Cruise: www.theswingercruise.com/cruises.html

LifeStyle Cruise: www.lifestylescruise.com

Abaixo, veja o roteiro do “Samba Swing Tango”:

Sábado – 03 de janeiro – Rio de Janeiro, Brasil
Domingo – 04 de janeiro – Búzios, Brasil
Segunda-feira – 05 de janeiro – Navegação
Terça-feira – 06 de janeiro – Navegação
Quarta-feira – 07 de janeiro – Punta del Este, Uruguai
Quinta-feira – 08 de janeiro – Punta del Este, Uruguai
Sexta-feira – 09 de janeiro – Buenos Aires, Argentina
Sábado – 10 de janeiro – Buenos Aires, Argentina

Mais informações: www.casalfirsttour.com.br

Fonte: http://viagem.uol.com.br/cruzeiros/noticias/redacao/2013/07/24/temporada-brasileira-de-cruzeiros-tera-viagem-para-adeptos-do-swing.htm

O que acontece nos cruzeiros para casais “liberais”?

Casal ‘suingueiro’ e agente de viagens especializado revelam os bastidores dos navios destinados aos apreciadores do swing

Matéria publicada no Canal Delas – ig.com.br

No verão de 2015 os brasileiros terão, pela primeira vez, um cruzeiro voltado para casais liberais em suas águas. O “Samba Swing Tango” sairá do Rio de Janeiro no dia 3 de janeiro, e passará por Búzios e Punta del Este, com destino final em Buenos Aires. A bordo, até 375 casais praticantes de “swing”, o nome popular dado à prática da troca de casais.

Embora seja novidade por aqui, esse tipo de cruzeiro acontece frequentemente no exterior.

“Na Europa e nos Estados Unidos, esse tipo de viagem é bem comum e diversas empresas oferecem o serviço sem o menor constrangimento”, explica Paulo Macedo, proprietário da empresa Casal First Tour, que levou casais brasileiros à viagens de navio desse tipo pela Europa e agora promove o “Samba Swing Tango”. O empresário contou ao Delas como funcionam esses cruzeiros destinados ao que ele chama de “suingueiros”.

Na piscina dos navios, a paquera rola solta e o clima é quente, mas o sexo explícito é proibido
“A primeira coisa a desmistificar é que, ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, os casais não ficam transando que nem loucos o tempo todo da viagem”, diz Paulo, explicando que o sexo acontece mais intensamente quando anoitece. “É claro que durante o dia, a paquera rola solta entre os casais, o que vai criando um clima de intimidade, as pessoas vão se conhecendo e descobrindo afinidades”, completa.

Praticante de swing há mais de cinco anos, o casal formado por Gustavo, 39 anos, e Sol, 42, que prefere não revelar seu sobrenome, conhece bem esse flerte que rola a bordo. “No final da tarde, muitos casais vão à piscina tomar sol, você pode ficar nu, de biquíni ou do jeito como preferir. O clima esquenta quando começam as brincadeiras”, conta ela, referindo-se às atividades recreativas promovidas pelos organizadores da viagem: desde desfiles de lingeries a shows de sedução que, embora não mostrem cenas de sexo explícito, são bastante eróticos.

Além do ambiente da piscina, outra área onde o clima fica mais quente é a boate. “Toda noite, depois do jantar, os casais vão para lá, eventualmente vestidos de acordo com um tema proposto, que pode ser ‘Noite do Branco’ ou ‘Noite das Máscaras’”, detalha Sol. “Neste local a paquera é intensa, muitos dançam coladinhos e as mulheres começam a se beijar”, completa a suingueira.

Mesmo na piscina e na boate do navio, no entanto, apenas a paquera e as brincadeiras eróticas são permitidas. Sexo, só nas cabines ou no playroom.

E é no playroom que o sexo coletivo acontece. São várias camas artisticamente arranjadas e que podem ser parcialmente separadas por véus transparentes. Decorado com imagens eróticas, o playroom fica aberto até de madrugada. Sempre à meia luz, “os casais podem fazer trocas, transarem em grupos ou exibirem-se uns para os outros”, revela Gustavo.


O playroom é o lugar da ação nos cruzeiros de swing. Lá, a nudez e o sexo são liberados
Como Gustavo sugere, nem todos os pares a bordo se comportam do mesmo modo no playroom.

De maneira geral, eles podem ser divididos em: voyeurs, aqueles que apenas observam os outros casais em ação; exibicionistas, que gostam de transar em público, mas não fazem trocas; softs, que topam fazer as preliminares com outros, mas penetração só com o(a) parceiro(a); os que curtem sexo a três — na maioria da vezes, um casal acompanhado de uma mulher — e os troca-troca geral, para quem vale-tudo, sem restrições.

“É comum que um casal que viaja pela primeira vez neste tipo de cruzeiro apenas observe e não faça sexo com outro casal”, avalia Paulo. “Nas viagens seguintes, ele vão se soltando e começam a praticar o swing com mais naturalidade”, prossegue.

De acordo com Paulo, os brasileiros exigem muito mais discrição do que os europeus e americanos na hora de contratar um cruzeiro. “Eles têm pavor que outras pessoas fora do meio do swing saibam que fazem esse tipo de viagem. Muitos até contratam o serviço diretamente no exterior para tentar se proteger ainda mais”, aponta o empresário.

Alguns casais preferem eles mesmos organizarem a viagem junto com outros suingueiros, sem intermediários, para evitar possíveis indiscrições. Esse é o caso de Gustavo e Sol, que até criaram o blog Solenieve para reunir os interessados em cruzeiros para casais “liberais”.


O ambiente do playroom é preparado para funcionar até de madrugada
Fazer esse tipo de turismo no exterior não custa barato. “Em média, uma cabine para dois custa R$ 8 mil e você tem que somar a isso os R$ 2 mil da passagem aérea, por pessoa, até o destino da partida do navio”, calcula Sol.

“Isso acaba restringindo o público a casais com alto poder aquisitivo e não tão jovens, a faixa etária fica entre 35 e 50 anos”, acrescenta Paulo.

Já o cruzeiro que sai do Rio de Janeiro e vai até Buenos Aires tem cabines a partir de US$ 1.500 por pessoa.

Independentemente das restrições financeiras, esse nicho do mercado de turismo não é nada pequeno. Numa estimativa para a rede de TV americana ABC, o site AdultFriendFinder, uma das maiores comunidades online de troca de casais, calculou que há atualmente 10 milhões de praticantes de swing no mundo. Público suficiente para lotar vários navios como o que passou pela Europa em junho.

Mais informações sobre cruzeiros para casais’ liberais’:

– Menores de 21 anos não embarcam;

– Homens solteiros não entram de jeito nenhum;

– Mulheres solteiras entram em alguns cruzeiros, mas sempre acompanhadas de um casal;

– Nada de fotos, máquinas fotográficas são proibidas a bordo;

– A bordo, o casal tem liberdade para fazer só fazer o que deseja, o que fica claro na norma máxima adotada pelos praticantes de swing: “não significa não”.

Fonte: http://delas.ig.com.br/amoresexo/2012-06-26/o-que-acontece-nos-cruzeiros-para-casais-liberais.html